Veja Também
Principal / História

História

Origem das artes marciais

Origem das artes marciais

As primeiras manifestações de Artes Marciais foram percebidas ainda na Idade do Bronze e Ferro, quando indícios de técnicas de luta corporal e armas brancas foram encontradas.

Aproximadamente no ano 700 a.C. existiu, na Grécia Antiga, uma forma de luta denominada de Pyrrhic ou Pankration que utilizava técnicas de mãos, pernas, quedas e armas brancas.

No Oriente, as Artes Marciais originaram-se na Índia no ano 1000 a.C. com uma antiga classe guerreira denominada de Kshatriya, que desenvolveu uma luta conhecida como Vajramushti.

A versão mundialmente aceita a respeito da origem do karate é a do monge hindu Boddhi Dharma, ou Daruma Taiji como era conhecido no Japão no século VI.

Daruma Taiji, de origem nobre, volta a sua vida para o Budismo iniciando uma peregrinação que teve início nas montanhas de Kanchipuram, na Índia, atravessando as montanhas do Himalaia, em direção ao norte da China na província de Honan.

Ele introduziu no Templo de Shaolin, localizado nas montanhas de Song Shan, o Zen Budismo, onde ensinou um sistema criado a partir dos movimentos da natureza e dos animais, compreendendo 18 exercícios e 2 sutras chamados de Ekkinkyo e Senzuikyo.

Neste templo ele desenvolveu, sistematizou, organizou e instruiu os monges iniciando o Shaolin Chuan Fa ou Sil Lun Chuan Fa, como também é conhecido, e que deu origem à maioria das Artes Marciais asiáticas.

A partir do Templo de Honan diversos estilos surgiram devido às diferentes personalidades e técnicas que cada monge desenvolveu.

Podemos destacar dois templos Shaolin na China, o de Honan e o de Fukien.

Entre os anos de 840 a 846 d.C., assim como vários outros templos, ambos foram destruídos pelo Império Chinês que promovera uma perseguição implacável aos Monges Shaolin, divulgadores da filosofia de BUDHA.

Honan e Fukien foram reconstruídos porém outra vez massacrados pelos Manchus durante a dinastia MING, nos anos de 1368 a 1644 d.C. Desta vez somente 5 monges sobreviveram ao holocausto tornando-se conhecidos como os “Cincos Ancestrais”.

Para que os ensinamentos de BUDHA e Bodhi Dharma não se perdessem, os “Cinco Ancestrais” iniciaram uma peregrinação por toda a China, cada um ensinando o seu estilo de Chuan Fa (Wushu). Deve-se a este fato a origem dos cinco estilos básicos: Tigre, Dragão, Serpente, Leopardo e Grou.

O termo Kung Fu, como essa Arte Marcial Chinesa é conhecida no ocidente, é denominada na China de Wushu ou Chuan Fa (nos textos).

A Origem do Karate de Okinawa

A Origem do Karate de Okinawa

Okinawa, ilha situada ao sul do Japão, originariamente não era território japonês. Era um reino com língua (uchinaguchi), administração e filosofia próprias. Devido à sua maior proximidade com a China mantinha com ela um intercâmbio cultural e comercial intenso.

Antes do contacto com a China, existia na ilha uma luta nativa denominada TE. Segundo antigos manuscritos japoneses os primeiros contactos ocorreram no período da Dinastia Tang ( 618 a 906 d.C.), quando várias missões diplomáticas, militares e religiosas visitaram a ilha.

Com o intercâmbio entre os monges budistas de Okinawa e da China ocorreram influências sobre o TE com a introdução de técnicas do Chuan Fa (Wushu).

A sedimentação deste contacto entre as duas culturas aconteceu por volta de 1372, durante o governo do Rei Kumo Sato, de Okinawa, e o imperador chinês Chu Yen Cheang, que promoveram a vinda de diversos mestres chineses, a fim de desenvolver o TE associado ao Chuan Fa. Foi nesta época que as artes marciais se alastraram na ilha.

Muitos pesquisadores do Karate, acreditam que esta arte foi formada a partir da fusão do TE de Okinawa com o Chuan Fa Chinês.

A arte marcial denominada de Kobudo, desenvolveu-se paralelamente ao Karate aproveitando os instrumentos utilizados no dia a dia dos habitantes: kama (foice), bo (bastão), eku (remo) e o nunchaku (batedor de arroz), além de algumas armas específicas, como o Sai.

Em 1609, Okinawa foi invadida por ordem do chefe do clã Satsuma, que tomou a ilha anexando-a ao território japonês.

Mesmo com o domínio tirânico dos japoneses, grandes mestres chineses conseguiram visitar Okinawa, como Kosokun (Kusanku) que ajudou a desenvolver secretamente o que seria denominado de Karate.

Deste período até o século XIX, grandes mestres surgiram como Makabi Chokei, Sakugawa Shungo, Morishima Oyataka, Ginowan Cho’Ho, justamente no período em que os 3 mestres responsáveis pelo Karate criaram suas linhas, as quais originaram os estilos do Karate Moderno.

Tomari Te Matsumura Kosaku
Shuri Te Itosu Ankoh
Naha Te Higaonna Kanryo

A denominação Te era a arte marcial e o nome que a antecede era a cidade em que morava o mestre fundador destas linhas:

· Naha-Te da cidade de Naha,

· Shuri-Te da cidade de Shuri e

· Tomari-Te da cidade de Tomari.

As escolas básicas de Okinawa como Shuri Te e Tomari Te, hoje são conhecidas como o estilo Shorin Ryu e a de Naha Te como estilo Goju Ryu.

Os Quatro Principais Estilos de Karate de Okinawa

Naha Te Goju Ryu Fundado por Chojun Miyagi
Shuri Te Shorin Ryu Fundado por Tomohana Chosin, discípulo do Mestre Itosu Ankoh, em 1933
Tomari Te Shorin Ryu Fundado pelo Mestre Soshin Nagamine, em 1947
Kempo Chinês Uechi Ryu Fundado pelo Mestre Kanbun Uechi, que praticou esta arte de 1897 a 1947, na província de Fukien, a mesma do Mestre Higaonna

Obs.: Estas artes eram conhecidas até o início do século XIX como Tode ou Karate, só que com o significado Mão Chinesa. Atualmente a palavra Karate significa Mão Vazia (kara=vazia e Te = mão).

A escola que interessa ao nosso propósito é a da cidade de Naha, que deu origem ao Karate Goju Ryu.

Foto de Grandes Mestres do Karate de Okinawa
turma_okinawa

Mestre Seigo Tada

Mestre Seigo Tada

O Mestre Seigo Tada, nasceu em 18 de fevereiro de 1922, como filho primogênito da família Tada em Kyoto, Japão, cidade onde foi introduzido formalmente o Karate Goju Ryu na ilha principal Honshu. O Japão é formado por quatro ilhas principais: ao norte Hokkaido, Honshu a maior, a oeste Shikoku e ao sul Kyushu. Okinawa é uma pequena ilha ao sul de Kyushu.

Seu primeiro contacto com as Artes Marciais aconteceu quando ainda jovem, em 1937, com 15 anos de idade, mudou-se junto com a família para a cidade de Shanghai, na China. Lá conheceu um Mestre de Kempo, chamado Ching Lou, e aprendeu esta Arte Marcial chinesa.

Em março de 1939, já de volta a Kyoto, iniciou o aprendizado do karate na Universidade Ritsumeikan, onde cursava o 2º grau.

Em 1941 iniciou na própria universidade o curso de Ciências Econômicas. Lá existia um clube de Karate supervisionado pelo famoso Mestre Miyagi Chojun, responsável e introdutor do Karate Goju Ryu. Em pouco tempo tornou-se o técnico de Karate desta universidade.

Em 1943, convocado para a 2ª Grande Guerra, foi destacado para o batalhão “Tokotai” que tinha a mesma função do esquadrão “Kamikaze” (Ventos Divinos), famoso por suas táticas suicidas, mas felizmente, para nós karatecas, a guerra acabou sem que o nosso Mestre tenha sido designado para a derradeira missão.

Logo após a guerra, sentindo que alguma coisa deveria ser feita para elevar o moral do tão abatido povo japonês, iniciou em Kyoto um trabalho baseado no ensino de Karate Goju Ryu, buscando elevar a auto estima e a confiança de seus praticantes.

Em agosto de 1945 retornou ao Japão vindo da Coréia e em setembro do mesmo ano abriu o “Torimaru Dojo”, a 1ª academia já utilizando o nome Seigokan . Neste mesmo ano, graduou-se na Universidade de Ritsumeikan e empregou-se como funcionário público.

Em 1947, convidado a dar aulas no Saineikan Budo Castle, famoso centro de Artes Marciais na cidade de Kyoto, resolveu largar o emprego e se dedicar de corpo e alma ao ensino do Karate Goju Ryu Seigokai.

Devido ao grande sucesso das aulas de Karate, o Mestre Seigo Tada fundou então a All Japan Seigokan Karate Do Association neste mesmo ano.

Em 1951, abriu o Toofukuji Dojo, de onde saíram grandes karatekas da Seigokan.

Uma passagem interessante na vida do Mestre Seigo Tada foi a visão que teve em relação ao Karate, antes de se juntar às tropas japonesas. Prevendo uma profunda crise econômica após a guerra, o jovem mestre estocou uma quantidade de kimonos e escondeu-os em sua casa. Dificuldades de toda ordem assolavam o país com o fim da guerra, porém o jovem Mestre Seigo Tada, com a venda de kimonos e a receita das aulas, conseguiu manter-se naqueles dias difíceis.

Uma outra passagem interessante na vida do Mestre Seigo Tada foi que quando jovem ele fez um teste para ator no cinema japonês e foi aprovado mas no momento que se deu conta da realidade da vida artística desistiu para a sorte do karate Seigokan, isto aconteceu em uma época que o famoso ator Toshiro Mifune estava iniciando também no cinema.

Com a fama de um grande lutador, a Seigokan rapidamente cresceu, abrindo filiais em outras cidades e províncias e o primeiro sinal de expansão foi a abertura de uma academia na província de Shiga, na cidade de Ootsu (1952). Seguindo esta rota de expansão, a Seigokan logo se espalhou por todo o Japão, do norte na ilha de Hokkaido, até ao sul na ilha de Kyushu.

Apesar do Karate nesta época utilizar poucas técnicas de perna, o jovem Mestre Seigo Tada impôs-se utilizando uma boa variedade de pontapés que, conforme dito por ele mesmo, eram as suas técnicas preferidas. Isto deveu-se à influência do Kung Fu chinês aprendido na adolescência.

No dia 9 de março de 1954, o Mestre Seigo Tada casou-se com a jovem Okamoto Mitiko, médica e residente na cidade de Himeji, na província de Hyogo, e para lá transfere a sede da Goju Ryu Seigokai.

Sua arte a partir de 1966, começou a ganhar o mundo. Oh Do Kan, um famoso centro de Artes Marciais de Hong Kong, convidou um instrutor de Karate Goju Ryu Seigokai. Para lá foi enviado o instrutor Yukiaki Yoki e depois Shoji Yuki, entre outros instrutores da Seigokan, ambos da faculdade de línguas estrangeira de Kyoto, que introduziram o Karate Seigokan na ex-colônia britânica.

Este acontecimento foi de extrema importância para nós brasileiros, pois nesta academia treinava um karateca de nome José Martins Achiam, nascido em Macao, colônia portuguesa próxima a Hong Kong.

Antes da introdução oficial da Seigokan em Hong Kong, em 1965, um executivo japonês e instrutor de Goju Ryu, ensinou a técnica a um grupo de jovens chineses, mas devido a problemas de saúde, retornou ao Japão deixando a semente do karate neste grupo. Participava deste grupo o jovem José Martins Achiam. Em 1966, após graduar-se Faixa Marrom, já sob a instrução de professores da Seigokan, iniciou informalmente o ensino do Goju Ryu Seigokan em Macao a um grupo de amigos. Nesta turma inicial, treinavam os instrutores que fundaram a Goju Ryu Seigokai no Brasil, Luís Pedruco, Acaio e Puchy.

O Mestre Seigo Tada iniciou na década de 60, um trabalho visando a introdução do Karate como esporte olímpico, a exemplo do Judo em 1964. Teve funções de extrema importância atuando não só como dirigente, mas também como árbitro, delegado e inspetor nos primeiros campeonatos japoneses e mundiais.

Em sua trajetória de vida, o Karate Seigokan expandiu-se para a Ásia, Europa, Oceania, América do Norte e América do Sul.

Em 2 de Fevereiro de 1971, foi inaugurada a sede da Seigokan na cidade de Himeji, em instalações privilegiadas.

Em 1995 na festa do Jubileu de Ouro da Seigokan, quando o Brasil participou pela 1º vez com uma equipe (antes os atletas brasileiros participaram individualmente), conseguimos um feito inédito. A equipe sagrou-se campeã na festa do 50º Aniversário de fundação da Seigokan. Dois anos após repetimos este feito no último torneio em que o Mestre esteve presente, ocorrido em 26 e 27 de julho de 1997.

Em 18 de Outubro de 1997 infelizmente morreu, aos 76 anos de idade, o Mestre Seigo Tada devido a um enfarte do coração, fato que nos espantou muito devido ao excelente estado de saúde apresentado por ele meses antes, no período do 72o Torneio Mundial de Karate da Seigokan, comemorativo do 52o aniversário de fundação da All Japan Seigokan Karate-Do Association.

Entre os feitos do Grande Mestre Seigo Tada, destacam-se:

· Um dos grandes incentivadores do karate olímpico;

· Um dos mestres que ajudaram a organizar a Federação Japonesa de Karate, que serviu de embrião para a formação W.U.KO, atual W.K.F (Federação Mundial de Karate);

· Membro do Conselho Central de Liderança da Federação Japonesa de Karate;

· Secretário Geral da Federação de Karate para as regiões de Kansai e Kinki e Vice Presidente da Federação de Karate da Província de Hyogo;

· Árbitro Chefe do 1o e do 3o Campeonato Japonês (1970 e 1972).

· Delegado da Federação Japonesa no Campeonato Mundial de Karate realizado em 1972 na cidade de Paris, França;

· Líder de centenas de Dojos de Karate Seigokan no Japão, escolas, universidades e empresas como Hitachi, Coca Cola, Panasonic, etc, espalhadas desde o norte, na província de Hokkaido, ao Sul, na ilha de Kyushu.

· Diretor da sede japonesa da W.U.K.O, atual W.K.F;

· Mestre supervisor das filiais internacionais de países como: Brasil, Estados Unidos, Canadá, Portugal, Alemanha, Finlândia, Itália, Hong Kong, Macau, Singapura, etc.

O Mestre Seigo Tada foi realmente uma personalidade ímpar dentro do Karate, um líder nato, generoso e sempre à disposição de qualquer aluno, independente da graduação, idade ou sexo. Realmente alguém que dificilmente terá o seu lugar preenchido à altura.

O ideal do Mestre Seigo Tada era de que todos os membros da Seigokan se tornassem uma única família.

O grande legado que o Grande Mestre Seigo Tada nos deixou foi esta organização, a Japan Karate Do Seigokai que é considerada, conforme fontes pesquisadas na Internet, como a maior organização de Karate Goju Ryu estabelecida no Japão.

Atualmente é presidida pela sua esposa, a dra. Okamoto Mitiko, ou como está sendo conhecida após a morte do esposo, Seigo Tada II.

Mestre Miyagi Chojun

Mestre Miyagi Chojun

O Mestre Miyagi Chojun, nasceu em 25 de abril de 1888, na cidade de Naha, Okinawa, em uma família de mercadores que possuíam dois navios mercantes e importavam produtos medicinais da China.

Iniciou-se no karate aos 11 anos de idade, levado pela mãe ao Mestre Arakaki Ryuko, a fim de prepará-lo para os dias agitados no período da Restauração Meiji e da Guerra Sino Japonesa. A mãe do jovem Miyagi acreditava que seus filhos deveriam ser preparados tanto na parte física, como na mental.

Após três anos junto ao Mestre Arakaki, trabalhando muito com o makiwara, musculação e karate, este apresenta-o ao Mestre Higaonna, já famoso em Okinawa.

Apesar de muitos candidatarem-se a discípulo, não era simples o processo de seleção, pois Mestre Higaonna era muito exigente, assim como fora seu mestre na China. A escolha era realizada analisando o espírito, força de vontade, humildade e a vontade de aprender Karate.

Apesar de ter tido a honra de ser escolhido como discípulo, o jovem Miyagi teve que provar que era digno de ser aceito, passando a executar as mesmas tarefas domésticas que seu mestre e o fez com entusiasmo, eficiência e dedicação.

Até então o jovem praticante não tinha consciência do que esta arte mudaria a sua vida e apesar de se esforçar e amar o karate profundamente, jamais imaginou a dimensão que o Goju Ryu alcançaria no mundo todo.

O jovem Miyagi, não se contentou em apenas praticar o exaustivo treino sob a tutela do Mestre Higaonna à noite. Durante o dia corria quilômetros, fazia musculação na praia e tal era o esforço despendido que não conseguia alcançar o seu quarto, dormindo no hall de entrada de sua casa.

Miyagi ficou famoso e foi convidado por um professor de Judo a lecionar karate na Universidade de Ritsumeikan em Kyoto, primeiramente em 1935 e depois em 1941, onde formou vários alunos que tiveram participação importante no crescimento do Karate Goju Ryu, tais como os mestres Tomoharu Kizaki, Kuranosuke Kimura, Soo Nei Chu, Seigo Tada, Shozo Ujita, Kenzo Uchiage, Kyo Mori, Hamaguchi, entre outros.

Neste período realizou várias demonstrações como no Daí Nippon Butokukai, no Saineikan Budo Castle, em 1932, local em que o Mestre Seigo Tada lecionou 15 anos depois.

O Mestre Miyagi era o legítimo sucessor do Mestre Higaonna e o acompanhou até o seu leito de morte

Mestre Miyagi morreu em 9 de outubro de 1953 após um enfarto cardíaco. Com sua morte repentina, não deixou um sucessor oficial para dar continuidade ao seu trabalho. Alguns mestres de karate deram continuidade à sua arte como, Seiko Higa, Eiichi Myazato, Meitoku Yagui, Seikichi Toguchi, Jin’an Shinzato, em Okinawa, e mestres como Gogen Yamaguchi e o nosso saudoso Mestre Seigo Tada, em Honshu.

O Mestre Miyagi Chojun deixou-nos seu maior legado, o KARATE GOJU RYU.

Mestre Kanryo Higaonna

Mestre Kanryo Higaonna

Mestre Kanryo Higaonna nasceu em 10 de Março de 1853, na cidade de Naha, atual capital da província de Okinawa, como o quarto filho de Kanyo e Makado Higaonna.

Conhecido desde pequeno pelo apelido “Machu”, já se destacava pela agilidade e velocidade nas brincadeiras em que tomava parte e já demontrava o interesse precoce pelas artes marciais mas, de acesso extremamente restrito e muito jovem ainda, teve que esperar mais alguns anos para iniciar-se nas artes de luta. Aos 16 anos, finalmente, iniciou seus treinamentos com um desconhecido mestre chinês de Fukien que vivia em Okinawa.

Apesar de treinar com este desconhecido mestre, o jovem Higaonna destacou-se devido à sua habilidade natural, combinada com sua agilidade e velocidade e, com isso, tornou-se conhecido em Naha.

A influência deste mestre tornou-se importante pois, através dele o jovem Higaonna ouviu histórias sobre grandes mestres chineses. O desejo de aprimorar-se no Shorinji Kempo se tornava, a cada dia, a meta de sua vida.

Este crescente desejo de viajar para a China esbarrou num obstáculo poderoso, a falta de recursos financeiros, pois seus pais não podiam bancar este sonho sem comprometer o sustento dos irmãos restantes.

Anos mais tarde, finalmente, a obsessão deste jovem se concretizou. O Sr. Udon Matsumura patrocinou a viagem do futuro mestre à tão sonhada “Terra do Centro”, a China.

Então, em Novembro de 1874 com 22 anos de idade, ele parte para China com destino ao Porto de Foochow, na província de Fukien.

Chegando lá, sua primeira providência foi procurar o Mestre Ryu Ryuko, mas a sua aceitação como discípulo não foi imediata. Como era costume na época, poucos eram os agraciados com tal honra e, mesmo assim, teriam que submeter-se a um longo e cansativo processo para que o mestre permitisse sua presença nas aulas.

Durante um longo tempo, executou tarefas domésticas como jardinagem e limpeza da casa, entre outros. Eram serviços aparentemente humilhantes mas que demonstravam a real vontade do postulante a aluno.

O jovem Higaonna finalmente foi aceito, iniciando uma rotina rigorosa de treinamentos. Além disso auxiliava o mestre na sua outra atividade, a confecção de artefatos de bambu.

Durante este período, aprendeu os katas que tornaram-se a base do Karate Goju Ryu. São eles: Sanchin (revisado pelo Sensei Miyagi), Saifa, Seienchin, Sanseiru, Seisan, Shisoochin, Seipai, Kururunfa e Suparinpei.

Após 15 anos de rigorosos treinamentos, o Mestre Higaonna retornou à Okinawa e seu primeiro ato foi agradecer ao Sr. Matsumura o patrocínio de sua viagem. Este, impressionado com o jovem sonhador que conhecera, transformado agora em um mestre com semblante vigoroso, porém mantendo a mesma humildade e caráter de anos atrás, convidou-o a ensinar Karate a seus filhos.

Sua fama rapidamente espalhou-se pela ilha, chegando ao conhecimento do Rei de Okinawa, que convidou-o para ensinar Karate aos membros da família real e à toda nobreza. Apesar da fama alcançada, o Mestre Higaonna não mudou seu modo de ser, mantendo sempre a postura humilde, não alardeando sua capacidade física e sua técnica.

O Mestre Higaonna inaugurou seu primeiro Dojo em Nishimachi, ensinando o Naha Te de graça, pelo simples prazer de passar a sua arte. Em 1905, começou a dar aulas em uma escola pública, sempre enfatizando que a essência do Karate se baseia no equilíbrio do corpo com o espírito.

Vários adjetivos foram atribuídos a ele, entre os quais podemos destacar ” Pontapé Poderoso” e “Punhos Sagrados”.

Formou vários alunos dos quais destacaram-se:

Juhatsu Kyoda – Criador do Tonn Ryu

Mabuni Kenwa – Criador do Shito Ryu

Chojun Miyagi – Criador do Goju Ryu, seu principal discípulo, que o acompanhou até o momento de sua morte, em outubro de 1916.

A história do Goju Ryu Seigokai de Macao

A história do Goju Ryu Seigokai de Macao

A Associação de Karate Do de Macau, nasceu da vontade de um jovem faixa marrom em ensinar seus amigos a nobre arte do Karate Goju Ryu Seigokai. Ele era aluno de um centro famoso de artes marciais, Oh Do Kan na ex-colônia britânica de Hong Kong na Ásia.

O Shihan José Martins Achiam em 1966 iniciou informalmente as atividades no quintal da casa de um de seus alunos, Alberto Carlos Paes D’Assumpção ou Acaio, na Rua Central nº 2C o qual viria a ser um dos introdutores do Karate Goju Ryu Seigokai no Brasil.

Em Setembro de 1967 se transferiram para o Seminário São José onde oficialmente foi estabelecida a Associação de Karate Do Seigokan de Macau.

Finalmente, A.K.S.M funda seu próprio dojo em uma casa cedida pelo Colégio Dom Bosco, na Av. Cel Mesquita onde sedimentam a base do Karate Seigokan.

Dentre o seleto grupo de 7 alunos fundadores, 3 vieram ao Brasil para ensinar. O primeiro foi o professor Luís Alberto da Silva Pedruco, em Julho de 1970, o segundo, o professor Alberto Carlos Paes D’Assumpção, ou Acaio como é conhecido, em Março de 1971 e o terceiro, Américo Machado de Mendonça que chegou em 1974.

Macau Dojo, pode ser considerado como o grande centro de expansão da Goju Ryu Seigokai pelo mundo, pois através dos instrutores macaenses que esta linha de karate foi introduzida no Brasil, Austrália, Estados Unidos.

A história do Goju Ryu Seigokai do Brasil

A história do Goju Ryu Seigokai do Brasil

A Associação de Karate Do de Macau, nasceu da vontade de um jovem faixa marrom em ensinar seus amigos a nobre arte do Karate Goju Ryu Seigokai. Ele era aluno de um centro famoso de artes marciais, Oh Do Kan na ex-colônia britânica de Hong Kong na Ásia.

O Shihan José Martins Achiam em 1966 iniciou informalmente as atividades no quintal da casa de um de seus alunos, Alberto Carlos Paes D’Assumpção ou Acaio, na Rua Central nº 2C o qual viria a ser um dos introdutores do Karate Goju Ryu Seigokai no Brasil.

Em Setembro de 1967 se transferiram para o Seminário São José onde oficialmente foi estabelecida a Associação de Karate Do Seigokan de Macau.

Finalmente, A.K.S.M funda seu próprio dojo em uma casa cedida pelo Colégio Dom Bosco, na Av. Cel Mesquita onde sedimentam a base do Karate Seigokan.

Dentre o seleto grupo de 7 alunos fundadores, 3 vieram ao Brasil para ensinar. O primeiro foi o professor Luís Alberto da Silva Pedruco, em Julho de 1970, o segundo, o professor Alberto Carlos Paes D’Assumpção, ou Acaio como é conhecido, em Março de 1971 e o terceiro, Américo Machado de Mendonça que chegou em 1974.

Macau Dojo, pode ser considerado como o grande centro de expansão da Goju Ryu Seigokai pelo mundo, pois através dos instrutores macaenses que esta linha de karate foi introduzida no Brasil, Austrália, Estados Unidos.

Voltar ao Topo